UFMG vai manter o uso do Enem no processo seletivo

BELO HORIZONTE - Apesar da polêmica em torno dos erros no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que levaram a Justiça Federal no Ceará a suspender o processo, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) decidiu manter sua programação do vestibular, inclusive com o uso da nota do exame como primeira etapa do processo seletivo.

Marcelo Portela, Agência Estado

09 Novembro 2010 | 19h26

 

Foi o que afirmou ontem o reitor da instituição, Clélio Campolina, que elogiou o Enem, que considera "um sistema necessário, conveniente e que precisa ser preservado". Segundo Campolina, o calendário da UFMG, com as provas de segunda etapa marcadas para o período de 23 a 29 janeiro, está mantido.

 

De acordo com o reitor, como a instituição tem até 15 de janeiro para divulgar a lista dos aprovados na primeira etapa, há prazo suficiente para a realização de nova prova do Enem. Mas ele defende que essa nova prova seja feita apenas pela parcela de candidatos que fez a prova com erros, estimada pelo Ministério da Educação em cerca de 2 mil estudantes.

 

Para Campolina, o exame ainda precisa de ajustes, mas é o melhor processo adotado até o momento. "O Enem trará para o sistema de ensino um maior conhecimento dos alunos nas diferentes escolas, algo a que não tínhamos acesso anteriormente", disse. "Aplicar um exame dessa magnitude é um processo de aprendizado e ficou claro que alguns detalhes ainda precisam ser aperfeiçoados. Mas como se trata de uma questão nacional, não cabe à UFMG tomar qualquer decisão isolada", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.