UFF discute denúncia de assédio sexual na segunda

Caloura teria sido levada para sala onde rapazes a obrigariam a praticar sexo oral no trote

Clarissa Thomé, de O Estado de São Paulo,

22 Agosto 2009 | 13h30

A Pró-Reitoria de Assuntos Acadêmicos da Universidade Federal Fluminense se reúne segunda-feira para discutir a denúncia de assédio sexual que teria ocorrido durante um trote do curso de direito, na semana passada.

 

Uma caloura contou que os veteranos dividiram as meninas entre "barangas" e "bonitas". Segundo a jovem, que ficou no segundo grupo, ela foi levada para uma sala, onde oito rapazes disseram que ela deveria praticar sexo oral neles para ser "promovida" a veterana. A caloura conseguiu escapar.

 

O caso foi noticiado pelo jornal O Globo, mas a vítima não registrou queixa formal na universidade por temer novas humilhações e constrangimentos. A Pró-Reitoria ainda aguarda a formalização da denúncia para tentar identificar os agressores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.