Tumulto, dois feridos e um preso em protesto de alunos no Rio

Um protesto de professores e estudantes da rede estadual do Rio de Janeiro, em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, terminou em tumulto na quarta-feira. Dois estudantes sofreram fraturas durante choque com a Polícia Militar (PM) e outro foi preso. O diretor do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), Roberto Simões, também foi detido.A manifestação, contra a falta de professores, começou às 10h00, no Largo do Machado, e chegou ao palácio ao meio-dia. Os alunos Sebastião de Miranda, de 23 anos, teve fraturas nas costelas e Tiago de Souza, de 16, nas pernas. A PM negou que tenha cometido abusos.O estudante João Pedro Souza e Silva, de 18 anos, foi preso por atentado violento ao pudor por ter abaixado as calças como ato de protesto. Ele deverá receber uma pena alternativa como a prestação de serviço social ou a doação de cestas básicas para famílias carentes.Simões foi detido por desobediência, ao tentar impedir que policiais militares deslocassem o carro de som do Sepe da frente do palácio.O subsecretário de Educação, Rivo Gianini, recebeu uma comissão de professores e estudantes para discutir a convocação dos profissionais aprovados no concurso realizado em 2001. A medida visa a suprir a carência nas escolas, onde turmas estão sendo agrupadas.Gianini tentou justificar a opção do Estado pelas contratações temporárias em disciplinas onde a falta de professores é grave, mas, ao fim da reunião, não houve consenso.

Agencia Estado,

25 de setembro de 2003 | 11h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.