TRT-SP determina readmissão dos professores da PUC-SP

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), em julgamento realizado na tarde desta quinta-feira, determinou a readmissão dos professores da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), demitidos em fevereiro. De acordo o juiz Antonio José Teixeira de Carvalho, relator do Dissídio Coletivo de Greve, uma cláusula na convenção coletiva da categoria profissional proíbe a dispensa dos professores no início do período letivo. Assim, dos 320 dispensados, apenas os que optaram pelo Plano de Demissão Voluntária (PDV) não serão reintegrados à universidade. O não cumprimento da decisão judicial implicará no pagamento de multa diária de R$ 1.000,00, destinada ao Hospital dos Pobres de Sorocaba, sustentado pela Fundação São Paulo, mantenedora da PUC-SP. A decisão não se aplica aos funcionários da universidade, pois o dissídio foi ajuizado pelo sindicato de professores.

Agencia Estado,

06 de abril de 2006 | 19h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.