Trote termina em confronto em frente a universidade do interior paulista

Policiais usaram bombas de gás e bala de borracha para dispersar estudantes

Rene Moreira, Especial para o Estado

04 Fevereiro 2014 | 20h54

Um trote na frente Centro Universitário de Bebedouro (Unifafibe), em Bebedouro (SP), na noite de segunda-feira (3), terminou em confronto entre estudantes e polícia. Vários alunos ficaram feridos, sendo alguns atendidos na própria instituição e outros encaminhados aos hospitais com intoxicação por gás ou ferimento a bala.

Policiais militares usaram balas de borracha e bomba de gás porque vizinhos teriam reclamado do barulho. Era o primeiro dia de aula e cerca de 300 jovens estavam no espaço que fica entre um bar e a entrada da instituição, inclusive com carros com som na carroceria. Alguns teriam reagido à tentativa da PM de liberar a área e revidado com uma chuva de garrafas.

Houve correria e muitos estudantes perderam pertences pessoais e outros objetos. Dos feridos, três foram parar no Hospital Municipal Júlia Pinto Caldeira e um grupo foi socorrido na própria universidade, que não divulgou o número de atendimentos. Universitários alegam que a polícia teria sido truculenta e que chegou disparando sem motivo, mas a PM nega.

O capitão Flávio Mira Darbo diz não ver exagero na ação da Polícia Militar. Segundo ele, seria pior se os policiais deixassem o local. Ele alega ainda que, antes de agir, eles ficaram horas observando. Em fotos e vídeos postados nas redes sociais, estudantes aparecem com roupas rasgadas e tintas pelo corpo antes do confronto. Alguns calouros alegam ter sido obrigados pelos veteranos a ingerir bebidas alcoólicas.

A Unifafibe divulgou nota confirmando que prestou os primeiros socorros a alguns alunos, porém, isentou-se de responsabilidade porque a festa ocorria na parte externa do prédio. Informou ainda repudiar qualquer ato de violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.