Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão

Três em cada dez jovens pensam em deixar escola e metade cogita desistir de Enem, diz pesquisa

Levantamento mostra a percepção de jovens sobre os impactos do coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2020 | 19h21

Três em cada dez jovens (28%) pensam em deixar a escola durante a pandemia do novo coronavírus e praticamente metade (49%) dos que planejam fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já cogitam desistir da prova. Isso é o que mostra um levantamento de instituições e movimentos ligados à educação divulgada nesta terça-feria, 23.

A pesquisa ouviu, entre 15 e 31 de maio, mais de 33 mil jovens de 15 a 29 anos em todo o País, por meio de enquete virtual. O trabalho foi idealizado pelo Conselho Nacional da Juventude, em parceria com Em Movimento, Fundação Roberto Marinho, Mapa Educação, Porvir, Rede Conhecimento Social, Unesco, braço das Nações Unidas para a educação, e Visão Mundial. Os jovens, no ensino médio ou superior, foram questionados em relação a quatro temas – economia, saúde e bem-estar, educação, e perspectivas para o futuro.

Especialistas têm apontado para o risco de aumento da evasão escolar e das desigualdades de aprendizagem motivadas pela crise da covid-19. Após pressão de estudantes e parlamentares, o Ministério da Educação (MEC) adiou as datas de aplicação do Enem, antes previsto para novembro. A prorrogação foi defendida sob o argumento de que alunos mais pobres seriam prejudicados, uma vez que as redes públicas têm enfrentado mais dificuldades de oferecer aulas online durante o período de quarentena. O novo calendário da prova, que serve de vestibular para universidades públicas e privadas do País, ainda não foi definido. 

Segundo a pesquisa, 7 em cada 10 deles disseram que seu estado emocional piorou durante a pandemia, sentindo ansiedade, tédio e impaciência. A renda familiar também foi afetada: 4 em cada 10 indicam ter diminuído ou perdido o sustento mensal e 5 em cada 10 mencionam que suas famílias tiveram essa redução. Por isso, 33% dos participantes relatam ter buscado alguma maneira para complementar sua renda. 

A pesquisa ainda revela que 6 em cada 10 jovens consideram que suas instituições de ensino devem priorizar atividades para lidar com as emoções; e 5 em cada 10 querem aprender estratégias para gestão de tempo e organização. O questionário também revela 34% dos jovens são pessimistas em relação ao futuro e 72% acham que a pandemia vai piorar a economia do Brasil. Mas 96% dizem confiar na descoberta de uma vacina contra o coronavírus e 48% salientam que as relações humanas e a solidariedade receberão mais atenção..

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.