Treineiros acabam primeiro a Fuvest no interior de São Paulo

Mas eles garantem que motivo de fazerem rápido o vestibular não está ligado à impossibilidade de entrarem na faculdade

Rene Moreira, Especial para O Estado

04 Janeiro 2015 | 17h50

FRANCA - O relógio bateu 15h, horário permitido para o início da saída da Fuvest, e os primeiros inscritos começaram a deixar os locais de avaliação no interior paulista. Muitos dos estudantes que acabaram a prova na frente dos demais são treineiros, mas garantem que não foi este fato que fizeram terminar rápido as questões.

"Na verdade achei fácil a prova", diz Beatriz Silva, de 16 anos, de Franca (SP), que se inscreveu para o curso de química, porém, como treineira. Ainda sem ter terminado o nível médio e mesmo sabendo que não estará na USP (Universidade de São Paulo) neste ano, ela levou o vestibular a sério. "Quero sair preparada para ser aprovada no ano que vem", afirma.

Outro treineiro, Luca Vilela, de 17 anos, também acabou a prova depressa e saiu da sala às 15h, duas horas apenas após o início do vestibular deste domingo, 4. Vale lembrar que o exame vai até terça-feira, 6, e o primeiro dia teve questões de gramática, literatura e a redação.

Difícil. Luca diz se empenhar na avaliação, mas alega que saiu rápido em razão da dificuldade. "Não tinha mais o que fazer", explica. Para ele, o primeiro dia de prova foi muito difícil e isso vale para a redação, que abordou as diferenças sociais. "Achei muito complicado o tema da forma como foi colocado".

Mais conteúdo sobre:
Fuvest 2015 vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.