Trabalhadores do pré-sal: software

Heltom de Paulo é consultor na área de perfuração de poços

29 Setembro 2009 | 00h06

A expectativa de especialistas é de que, começando a exploração da camada pré-sal, Santos se torne um novo polo da indústria de óleo e gás. A Petrobrás planeja até construir uma sede na cidade. Apesar de o boom do pré-sal estar previsto para daqui a alguns anos, as consequências já são perceptíveis hoje.  "Mudei pra cá no ano passado e foi difícil encontrar um imóvel com custo-benefício satisfatório. O mercado imobiliário teve uma inflação provocada pelo efeito Petrobrás", diz Heltom de Paulo, engenheiro da empresa americana Halliburton.  Ele está pensando em morar em São Paulo e descer todo dia para o litoral. Consultor na área de perfuração de poços, Heltom trabalha diretamente no cliente, no caso a Petrobrás, auxiliando quem utiliza os softwares da Halliburton. Segundo ele, as empresas do setor já vivem uma corrida tecnológica frenética e a perfuração do pré-sal vai intensificar ainda mais a concorrência.  "Neste mercado, cada um busca desenvolver ferramentas exclusivas, porque leva o contrato quem tem a melhor oferta. É uma briga acirrada por preço, serviço e a solução ideal."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.