Terceiro dia da Unicamp é o mais fácil

Provas de geografia e física não dão trabalho; questão 6 vem com fórmula errada

Carolina Stanisci e Paulo Saldaña, Especial para o Estadão.edu

12 Janeiro 2010 | 19h53

O terceiro dia do vestibular da Unicamp teve nível de dificuldade entre fácil e médio. O índice de abstenção foi de 9%, maior do que no ano passado  (7,1%).   Na prova de geografia, segundo a professora do Objetivo Vera Lucia da Costa Antunes, os 13.374 candidatos resolveram questões "muito criativas", com uma boa mescla entre a cobrança de conceitos geográficos, como a origem dos continentes, e atualidades.   Numa das perguntas, o vestibulando tinha que apontar quais são os principais produtos que as organizações criminais transnacionais comercializam, além das drogas. "Não foi difícil. Foi média para fácil. Dá tempo do aluno fazer. Nos anos anteriores era mais difícil", conclui Vera.   "Foi bem mais simples que no ano pasado, deu para responder com tranquilidade em duas horas", endossou Omar Fadil, do Etapa.   Apenas uma questão, a de número  21, estava mais difícil, para os professores. Cobrava conhecimento sobre as cavernas, tema que não é dado detalhadamente no ensino médio. "No geral, os temas foram adequados, tradicionais", disse André Guilbur, do cursinho da Poli.   A prova de física foi considerada "de média para fácil" para o professor Caio Calçada, do Anglo. Conteúdos da mecânica e eletricidade apareceram mais, mas também caiu na prova óptica, ondulatória, termologia. "Os enunciados estavam claros e não encheram linguiça contando histórias que não servem para nada", disse.   Leia a prova na íntegra Veja a correção dos cursinhos   O único porém da prova de física, para Calçada, foi um erro na questão de número 6, na fórmula de vibração da corda de violão fornecida pelo examinador: F = NV/L. O correto seria: F = NV/2L.   O supervisor de física do Anglo, Ronaldo Moura Sá, também achou a prova "equilibrada, muito boa". Mas, para ele, o erro na fórmula dada foi grave e pode ter acarretado um "problemão" para os vestibulandos: "O aluno fica em dúvida se usa a fórmula que sabe, correta, ou a fornecida pelo examinador. Vai ter que decidir, isso leva tempo e atrapalha muito."   Marcelo Monte Forte da Fonseca, coordenador de Física do Etapa, vai mais longe e aponta outro erro na prova de física, na questão número 3, sobre energia, em que aparecem duas constantes diferentes, mas com o mesmo nome 'KB'. "Isso pode gerar uma confusão", diz. "A Unicamp não deve anular as questões. Eles vão corrigir as questões com flexibilidade. Quem resolver de acordo com a fórmula dada, também será considerado correto."  

Mais conteúdo sobre:
pontoedu unicamp geografia física

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.