Terceirizados da USP mantêm greve nesta segunda-feira

Cerca de 300 funcionários da limpeza protestam por não terem recebido o salário de março

Estadão.edu

11 Abril 2011 | 12h58

Cerca de 300 funcionários terceirizados da USP mantiveram nesta segunda-feira os protestos no câmpus da Cidade Universitária. Os terceirizados alegam que não receberam o salário de março.

 

Os grevistas trabalham na limpeza de mais de 10 unidades e estão percorrendo a universidade, ao lado de membros do sindicato de trabalhadores da USP – Sintusp. Eles pretendem encerrar os protestos em frente à reitoria.

 

Segundo informações oficiais da reitoria, a universidade não conseguiu efetuar o repasse do salário de março, bem como de benefícios como vale-transporte, uma vez que a empresa terceirizada, União, estaria em débito com o governo (a USP, como autarquia do governo estadual, não pode pagar quem está inadimplente).

 

A empresa terceirizada está em falência e a USP tenta negociar o pagamento em juízo dos valores atrasados.

Mais conteúdo sobre:
greve USP terceirizados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.