Tarso quer empréstimo para controle digital nas escolas

O ministro da Educação, Tarso Genro, pretende obter um empréstimo a fundo perdido para financiar o projeto de combate à evasão escolar. Anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o projeto baseia-se na instalação de leitores de impressão digital nas escolas públicas para verificar a presença dos alunos. Segundo Tarso, a intenção é de obter o empréstimo com organismos internacionais.O protótipo do leitor deverá ser apresentado dia 14, pela Serpro, que está encarregada de desenvolver o sistema. O ministro pretende que os primeiros leitores passem a ser instalados a partir do próximo ano.Ele afirmou, no entanto, que o projeto terá uma execução gradual e não será obrigatório. A decisão de adotar ou não o sistema será dos governos locais.Sair do papelO secretário de Educação do Estado de São Paulo, Gabriel Chalita, afirmou ter interesse no projeto. Mas só se o Ministério da Educação arcar com todos os custos. "Queremos ver as coisas saírem do papel", disse o secretário, que também preside o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed). A idéia do projeto foi lançada pelo presidente há dez dias, durante o 4º Congresso Mundial da Internacional da Educação, em Porto Alegre. Cálculos feitos por empresas do setor mostram que, para equipar 192 mil escolas com sistemas digitais, o governo teria de investir cerca de R$ 115 milhões.Educadores questionam a eficácia de leitores digitais nas escolas públicas para combater a evasão. Eles argumentam que o abandono escolar está ligado principalmente à repetência e à baixa renda familiar.

Agencia Estado,

03 de agosto de 2004 | 10h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.