Tarso quer "constituinte" para universidade

O novo ministro da Educação, Tarso Genro, planeja abrir "uma espécie de processo constituinte da reforma universitária", ouvindo todos os segmentos envolvidos, para que, em julho, as propostas já possam ser transformadas em projeto de lei. O processo, disse Tarso, será ?integrado pela máquina pública, pela estrutura do MEC, pela universidade e pela sociedade civil?, formando um ?tripé com prazos e processos definidos, para dar as diretrizes fundamentais da reforma da universidade.?Ele quer o ?tripé? por entender que só a burocracia estatal ou, por outro lado, só a academia poderiam produzir uma reforma tendenciosa. ?Esta é uma reforma que não pode ser feita contra a academia, ou seja, apenas pela burocracia do Estado e pela sociedade civil; só que também não pode ser feita somente a partir da academia, porque daí existe o perigo que ela seja produzida com traços corporativos muito fortes.?Tarso lembrou que em julho, quando está marcado o primeiro congresso nacional de concertação, já devem estar definidos alguns ?consensos? para serem transformados em projeto de lei parciais da reforma universitária.ProvãoO novo ministro disse que pretende continuar as discussões sobre o Provão, para ?aperfeiçoá-lo?, garantindo que este sistema de avaliação não foi extinto pela medida provisória que instituiu o Sinaes. ?Temos uma MP que não extinguiu o Provão. Ela relativizou o Provão e centrou a avaliação não exclusivamente sobre os alunos, mas estabeleceu uma série de critérios. Isto é um progresso, só que precisa ser aperfeiçoado.?Tarso assume o cargo nesta terça-feira tentando amenizar a polêmica gerada pela saída de seu antecessor, Cristovam Buarque, demitido por telefone enquanto estava no exterior. "A equipe que eu vou montar não vai ser contra a equipe do Cristovam. Vai ser apenas uma equipe nova, aproveitando muitas pessoas que já estão no ministério."Em entrevista ao Estado, Tarso falou também sobre cotas para negros nas universidades, sobre o combate ao analfabetismo, a oposição de sua filha, Luciana Genro, expulsa do PT, e suas perspectivas quanto ao relacionamento com o ex-ministro Cristovam Buarque. clique para ler a entrevista completa

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.