Tarso promete rigor na autorização de cursos de Direito

O ministro da Educação, Tarso Genro, promete mais rigor na autorização para abertura e funcionamento de cursos de Direito no País. Ao comentar estudo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que conferiu selo de qualidade a apenas 28% de 215 cursos jurídicos avaliados, Tarso reforçou as críticas da entidade ao baixo nível de ensino."Essa representação que a OAB está fazendo é justa, vamos tomar providências em relação a isso", declarou ele na quarta-feira, antes de abrir debate sobre a reforma universitária, no Ministério da Educação (MEC).AbusoSegundo o ministro, há um "flagrante" abuso no que diz respeito à falta de qualidade. "Não é correto estender de maneira populista o ensino universitário. Há faculdades excelentes, tanto na capital quanto no interior. Mas, evidentemente, há uma proliferação indevida de faculdades em função da qualidade das mesmas, desrespeitando as pessoas particularmente das periferias das grandes cidades, fazendo um simulacro de ensino superior."A Secretaria de Educação Superior do MEC já estudava, na gestão do ex-ministro Cristovam Buarque, mecanismos para aumentar o rigor nas licenças de funcionamento de cursos superiores. Tarso não revelou se as novas medidas vão ficar restritas às faculdades de Direito ou abranger as demais áreas.Tarso, que é advogado, contou que conhece de perto a realidade do ensino jurídico no País, uma vez que costuma ser convidado a dar palestras em faculdades e cursos jurídicos de pós-graduação. "Sou testemunha disso", afirmou ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.