Tarso diz que pedirá contratação de 5 mil professores

O Ministério da Educação (MEC) quer contratar 5 mil professores para trabalhar nas universidades federais do País. A proposta será levada, nos próximos dias, pelo ministro Tarso Genro a seus dois colegas responsáveis pelo caixa do governo federal, os ministros Antônio Palocci (Fazenda) e Guido Mantega (Planejamento).Tarso ? que participou em São Paulo do Fórum Mundial da Educação ? não mencionou qual seria o impacto econômico da medida. Mas, segundo a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais do Ensino Superior (Andifes), a folha de pagamento de 5 mil novos docentes ficaria em torno de R$ 175 milhões.A entidade defende a contratação de 8 mil docentes e 7 mil técnicos ? o que seria necessário para preencher vagas hoje ocupadas por funcionários contratados em regime temporário, com salários mais baixos e sem vínculo de dedicação exclusiva.Negociar distribuiçãoTarso considera que embora sua proposta não atinja o número pedido, os 5 mil já seriam ?um aporte revolucionário.? Com as contratações, disse Tarso, algumas universidades vão apenas suprir a falta de docentes, enquanto outras terão condições de aumentar o número de vagas.Entre 1995 e 2001, o governo Fernando Henrique Cardoso contratou 3.662 professores para as 55 universidades federais, segundo a Andifes. Juntas, elas têm cerca de 43 mil docentes.O ministro disse ainda que pretende negociar com os reitores a forma de distribuição dos novos docentes. A idéia ? se aceita ? seria colocada em prática em 2005.Desde que lançou o programa Universidade Para Todos ? que prevê a concessão de isenções fiscais a universidades privadas que liberarem uma parcela de suas vagas ao governo ?, Tarso vem sendo criticado por reitores e professores das públicas. Eles defendem que em vez de dar concessão às privadas, o MEC deve priorizar o investimento nas públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.