Tarso defende cotas em universidades paulistas

O ministro da Educação, Tarso Genro, apoiou a criação de cotas para negros e estudantes de escolas públicas nas universidades estaduais paulistas - Universidade de São Paulo, (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade de Campinas (Unicamp). Ele esteve quarta-feira na Assembléia Legislativa de São Paulo para falar sobre a reforma universitária.Um projeto que deve ser apresentado na próxima semana propõe a reserva de 50% das vagas para estudantes vindos do ensino público e 30% destas para estudantes autodeclarados afrodescendentes."O apoio do ministro foi muito importante para o encaminhamento do projeto", disse o deputado estadual Cândido Vagareza, o líder do PT na Assembléia e autor do projeto das cotas. Ele disse estar colhendo assinaturas do PC do B, PSDB e PSB para protocolar e apresentar o projeto.Reitor da USPO reitor da USP, Adolpho Melfi, acredita que há medidas alternativas às cotas como cursinhos para estudantes carentes. "Pessoalmente sou contra cotas raciais pelos problemas futuros que isso pode causar ao profissional; as cotas para estudantes de escola pública são mais racionais porém mesmo assim alunos de baixa renda nas particulares com bolsas", disse o reitor.Mas ele disse que isso deve ser discutido ainda e que seria possível adotar porque a universidade não pode ser insensível aos anseios da população.O ministro considera ilógico esperar pela melhora do ensino público fundamental e médio. ?Quando ocorrer, cotas serão desnecessárias?.ProtestoDurante o pronunciamento do ministro, estudantes de um grupo da UNE e das universidades estaduais vaiaram e fizeram apitaço para tentar impedir que ele falasse. Poucos puderam ouvir as palavras de Tarso.O ministro classificou como ?autoritária e facista? a atitude dos manifestantes. No final, ?era uma minoria estudantil que não quer abrir as portas da universidade para a população brasileira excluída?, disse Tarso Genro. ?A maioria dos estudantes e professores apóia as cotas?.

Agencia Estado,

12 de agosto de 2004 | 11h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.