Tarso consegue urgência para projeto de cotas

O ministro da Educação, Tarso Genro, conseguiu nesta quinta-feira o apoio de todos os líderes da base aliada e da oposição para dar urgência ao projeto de lei que destina 50% das vagas das universidades federais para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas, em especial os negros e indígenas.A proposta foi enviada para o Congresso pelo governo em maio e deverá ser votada pelo plenário da Câmara na semana que vem.A proposta estabelece que as universidadesreservarão, no mínimo, 50% de suas vagas para estudantes que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas.Pelo projeto, as vagas serão preenchidas por uma proporção mínima de autodeclarados negros e indígenas igual à proporção de pretos, pardos e indígenas na população do Estado onde está a universidade pública, segundo o último censo do IBGE.O projeto prevê ainda que as universidades terão o prazo de 240 dias, oito meses, para se adaptaram às cotas.O ministro esteve pela manhã na Comissão de Educação da Câmara para debater o projeto de cotas. Mas, como a proposta tem o consenso de todos os partidos, a audiência pública da Comissão acabou se transformando em um debate sobre a medida provisória que destina 7% das vagas em universidades privadas comfins lucrativos para alunos carentes.   leia mais sobre cotas nas universidades

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2004 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.