Suplicy pede à Uniban que repense expulsão de estudante

O apelo do senador Eduardo Suplicy engrossa o coro dos críticos da iniciativa da universidade

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

09 Novembro 2009 | 15h10

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) convidou os membros do Conselho Universitário da Universidade Bandeirante (Uniban) a reconsiderarem a decisão que expulsou a aluna Geisy Arruda da instituição superior de ensino, ameaçada de agressão após ir à faculdade trajando um vestido curto.

 

Expulsão de Geisy transforma Uniban em alvo na internet

blog Opine sobre a expulsão

 

Em carta endereçada ao reitor da Uniban, Heitor Pinto Filho, Suplicy acusou os estudantes da Uniban de perseguir, xingar e encurralar Geisy, e ofereceu-se a proferir palestra na instituição sobre formas de minimizar a violência no ambiente estudantil. "De minha parte, disponho-me a colaborar para esse debate. Outras pessoas, com grande experiência relacionada ao tema da sexualidade, poderiam também", sugeriu.

 

Ele lembrou que, como pai de três filhos e professor concursado da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), convive, semanalmente, com alunos universitários, o que o capacita, de acordo com ele, a encontrar uma solução para o imbróglio.

 

Suplicy deu como exemplo um episódio em que intercedeu em defesa de um jovem de 14 anos que, em 2008, levou um revólver do pai para mostrar aos colegas na Escola Nossa Senhora das Graças, na capital paulista. "Resolvi telefonar à diretora do colégio e me ofereci para fazer uma palestra com os estudantes", contou. "Aquele aluno estava presente na palestra e aquela reflexão contribuiu muito para amainar os ânimos", completou.

 

O apelo de Suplicy engrossa o coro dos críticos da iniciativa da Uniban em expulsar a estudante. Na tarde de domingo, 8, a secretária de Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC), Maria Paula Dallari, antecipou que a instituição notificará oficialmente a universidade pedindo mais informações sobre o episódio. "Seria a mesma coisa em um caso de racismo", destacou a secretária.

 

A Delegacia da Mulher de São Bernardo do Campo, no Grande ABC (SP), também anunciou que abrirá inquérito para apurar crime de injúria contra a estudante. Para o fim da tarde, entidades ligadas ao movimento em defesa da mulher prometem realizar ato contra a expulsão de Geisy, nos arredores da unidade da Uniban, onde ocorreu o incidente, em São Bernardo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.