Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Superar o drama de uma geração de alunos na pandemia exige esforços coordenados; leia análise

Nossa população tem conhecimentos matemáticos reduzidos. Esse já não é um conteúdo simples de se ensinar e aprender com aulas presenciais, e ficou muito mais difícil com aulas online

Katia Stocco Smole*, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2021 | 05h00

Já prevíamos que os impactos do distanciamento da escola seriam grandes, mas os dados da pesquisa feita pelo governo de São Paulo, que estima 11 anos até recuperarmos a aprendiagem perdida na pandemia, mostram que superamos qualquer expectativa ruim. A aprendizagem não ocorreu. Esses dados agora também podem apontar o que precisa ser feito. Vamos ter de ensinar os alunos para minimizar impactos, e não levar para a frente uma desigualdade educacional que já é grande. 

Nossa população tem conhecimentos matemáticos reduzidos. Esse já não é um conteúdo simples de se ensinar e aprender com aulas presenciais, e ficou muito mais difícil com aulas online. 

Minimizar os danos vai exigir esforço de todos nós, com política consistente, investimentos, recursos didáticos, bom planejamento e priorização da aprendizagem. Será preciso investir na formação dos professores, ampliação do horário dos alunos na escola e avaliação frequente das políticas. Além disso, será necessário esforço coordenado por toda a sociedade, para entender que esse problema vai afetar o desenvolvimento de uma geração.

*DIRETORA DO INSTITUTO REÚNA E EX-SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DO MEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.