Startups de educação estão na vitrine hoje

Evento voltado para negócios sociais reúne apenas iniciativas nascentes de educação

Patrícia Gomes, do Portal Porvir,

14 Dezembro 2012 | 12h17

O universo das startups está fervilhando. Entre quinta e sexta-feira desta semana, 13 e 14, jovens empreendedores tentarão mostrar para investidores do mundo que suas ideias são, de fato, inovadoras em dois eventos distintos. O Virtual Venture Social, voltado para negócios sociais, acontece hoje virtualmente e reúne apenas iniciativas nascentes de educação. Já a Americas Venture Capital Conference, que ocorre hoje e amanhã na Flórida, reúne empresas de várias áreas, inclusive educação, e traz empreendimentos brasileiros.

O Virtual Venture Social, organizado por uma rede de investidores, terá a apresentação de cinco empresas que prometem revolucionar os processos de ensino e aprendizagem, sempre baseado nos poderes da internet. A primeria delas é a Edthena, que oferece um coaching online para professores interessados em melhorar suas aulas. Cada aula salva na plataforma recebe um feedback dos outros profissionais de onde e como melhorar.

Com o slogan explore o seu futuro hoje, o Mytonomy é uma rede social que une profissionais, professores e ex-alunos a estudantes do ensino médio e universitários que querem dicas e orientações sobre suas carreiras. A ideia é trocar conhecimento sobre questões como: Onde estudar? Para onde aplicar? Qual carreira seguir? Já a NoRedInk é uma plataforma gratuita de ensino adaptativo voltada para estudantes que querem melhorar sua gramática e suas habilidades de escrita em língua inglesa. Eles usam de temas e referências do mundo infantojuvenil, músicas, celebridades e programas de TV, para tornar tudo mais atrativo e divertido.

Diversão também é o foco para a Nunook Interactive, estúdio que cria games educativos para serem jogados on-line por múltiplos jogadores ao mesmo tempo. Por fim, o Big Universe Learning, um espaço para ler, escrever e compartilhar e-books voltado para alunos e professores.

Para assistir às apresentações online, o interessado deve de registrar e pagar US$ 50.

Já a Americas Venture Capital Conference é um evento presencial em que empresas dos ramos de agricultura, entretenimento, saúde, comunicação e, claro, educação, terão dois ou cinco minutos para mostrar a que vieram. O evento, que ocorre com o apoio da Universidade Internacional da Florida, dará prêmios no valor de US$ 70 mil e ainda trará nomes do empreendedorismo para palestras e debates. Cada uma das cerca de 30 empresas selecionadas precisou fazer um vídeo para apresentar a iniciativa.

Uma das que vai encarar o desafio na área de educação é a brasileira Eduqueme, formada por três jovens de São Paulo. A empresa é uma plataforma de financiamento coletivo para alunos de ensino médio encontrarem financiadores para seus estudos nos Estados Unidos. A ideia é que jovens que não tenham condições de financiar seus estudos em universidades de ponta, como Harvard, MIT e Stanford, encontrem empresas que, por outro lado, podem acompanhar a formação de jovens talentos desde o início da graduação.

Veja vídeo, em inglês, sobre o Eduqueme.

Além da Eduqueme, outros empreendimentos brasileiros, não necessariamente ligados à educação, participam do evento. A Aatag tem a proposta de unir o universo on-line com o offline por meio de tags: o usuário tagueia coisas/serviços que costuma usar e isso cria um volume de dados aos quais ele pode recorrer.

Já a Pagapramim traz para o Brasil o conceito de extensão de crédito. “Pagamos suas contas agora, você nos paga depois”, dizem eles.

Veja:

A Comenta.TV, cujo CEO não é brasileiro, mas tem um canal voltado para programas de TV no Brasil, permite que usuários comentem programas de TV em redes sociais. Veja:

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.