HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

SP tem 30 das 100 melhores escolas do País no Enem

Segundo avaliações divulgadas pelo Inep, 24 desses colégios têm 90 ou menos estudantes, o que pode facilitar o bom desempenho. Região Sudeste perde espaço, com 64 instituições no ‘top 100’, ante 70 no ano passado, e Nordeste ganha posições em grupo seleto

Luiz Fernando Toledo e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

04 Outubro 2016 | 11h00
Atualizado 04 Outubro 2016 | 21h40

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por escola de 2015 continuam mostrando o domínio de colégios particulares paulistas entre os melhores do Brasil. Das cem escolas com as maiores médias, 30 estão no Estado de São Paulo - uma a mais do que no ranking com base em 2014, que teve 29 colégios. 

No top 100, a maioria das escolas é privada (97) e não é de grande porte, ou seja, tem menos de 90 estudantes. Só três unidades desse grupo são públicas, todas ligadas a universidades federais. As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 4, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC) responsável pelo Enem. Para produzir as médias, o Estado tabulou o desempenho das unidades em cada uma das áreas medidas pelo exame - Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Línguas e Códigos e suas Tecnologias. A Redação é contabilizada separadamente. 

RANKING: Veja aqui a lista geral das escolas de acordo com a nota no Enem

O Inep também divulgou dados de contextualização dessas escolas, como a taxa de permanência no curso (para verificar se o aluno fez todo o ensino médio no mesmo colégio), o número de estudantes participantes e o nível socioeconômico dos estudantes, que é considerado um dos principais fatores que levam ao sucesso ou não no resultado do exame.

No ranking das 30 melhores escolas de São Paulo, 24 delas têm 90 ou menos alunos, o que pode facilitar o bom desempenho. O Colégio Objetivo Integrado, localizado na região central da capital, mais uma vez aparece no primeiro lugar da lista nacional, com a nota 751,2. Já se forem considerados somente os colégios de grande porte, com mais de 90 alunos, o Bernoulli - Unidade Lourdes, de Belo Horizonte (MG), é o 1.º no País, com 725,27.

O Enem por escola divulga as avaliações de 14,9 mil colégios, que cumpriram os critérios de ter pelo menos dez alunos participantes no exame, com participação igual ou superior a 50%. Por causa de uma alteração no Censo Escolar, ficaram de fora as unidades do Instituto Federal, que oferecem cursos técnicos com ensino médio profissionalizante. 

Por regiões. O Sudeste teve menos escolas entre as 100 melhores notas em relação ao ano passado - foram 64 colégios no ranking, ante 70 no ano passado e 77 em 2013. Entre as dez líderes, o Nordeste ganhou espaço. Eram três no ano passado, todas do Ceará. Agora, são cinco nesse grupo: quatro cearenses e uma do Piauí. 

As capitais também dominam o top 100 do ranking, com 65 representantes. Do restante de escolas, boa parte se concentra em regiões metropolitanas.

A presidente executiva do Movimento Todos Pela Educação (TPE), Priscila Cruz, ressalta que estar nas melhores posições no ranking não significa que a escola ofereça um ensino melhor, já que o nível socioeconômico dos alunos é um dos fatores que mais influenciam no desempenho. “Se você está em uma escola cara, os alunos viajam, têm livros em casa e acesso à cultura. Estão aprendendo muito fora da escola. O que muitas famílias estão comprando, na verdade, é o direito de o filho estar com outros alunos com renda maior, uma espécie de clube seleto.”

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.