SP deve ganhar novo planetário até o fim do ano

Depois de sete anos de promessas, o Planetário Municipal do Parque do Carmo, em Itaquera, zona leste da capital paulista, finalmente vai sair do papel. Os trabalhos de terraplenagem foram concluídos na sexta-feira. Só falta a Telefônica de São Paulo, que vai arcar com todos os custos, contratar a construtora que vai erguer o prédio de 1.650 metros quadrados.A obra está orçada em R$ 3 milhões e a estimativa é de que a construção seja iniciada em 20 dias, para terminar num prazo de nove meses. O planetário ficará no topo de um morro no interior do parque e terá a aparência de uma nave espacial.MaiorO planetário será maior que o do Ibirapuera e sua sala de projeção terá capacidade para 222 lugares, o que permitirá receber cerca de 400 mil pessoas por ano. Abrigará sob sua cúpula metálica o projetor Universarium Zeiis VIII, desenvolvido na Alemanha. O equipamento foi adquirido em 1996, por R$ 4 milhões.No centro da sala ficará o projetor de estrelas. Ao redor, serão colocados 48 projetores periféricos que refletirão qualquer parte do universo.Em torno da sala principal, haverá área para exposições, um café, uma loja de souvenires, uma biblioteca digital com informações sobre astronomia e um auditório de 70 lugares com um celotasto - aparelho de observação do Sol.EspelhosPor meio de uma série de espelhos, a imagem é projetada num telão dentro de uma sala, onde será possível observar as manchas, a coroa solar e ver como funciona o eclipse.No pátio externo, na área chamada Esplanada Cósmica, as pessoas terão como observar o céu por cinco telescópios: dois fixos e três móveis. Blocos de pedras estarão dispostos de maneira a representar o início do universo, formação das montanhas e de vulcões.

Agencia Estado,

30 de junho de 2003 | 14h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.