Só Bahia cumpre meta de frequência escolar

Estado tem 92,5% das crianças de 4 a 17 anos na escola; metas são do Movimento Todos pela Educação

Luciana Alvarez, O Estado de S.Paulo

10 Dezembro 2009 | 09h34

A Bahia foi o único Estado a ultrapassar a meta de 2008 do movimento Todos pela Educação para a universalização do ensino, com 92,5% das crianças de 4 a 17 anos frequentando a escola. O grupo, que reúne empresários, organizações sociais e gestores públicos, divulgou ontem seu segundo relatório. A "meta 1" para o País é que, em 2022, 98% das crianças de 4 a 17 anos estejam nas escolas. Mas o movimento acompanha a evolução do ensino ano a ano. Na média, o Brasil teve, em 2008, 91,4% de atendimento escolar – abaixo do esperada, de 91,9%. "O Brasil tem melhorado, mas precisa melhorar em velocidade maior", afirmou Mozart Ramos, presidente do Todos pela Educação. As metas são definidas conforme as condições dos Estados.Para a Bahia, a meta de 2008 era de 91,7%. São Paulo, com 93,1% de crianças estudando, ficou dentro da margem de erro estatístico para sua meta de 93,7%. Apesar de não ter ultrapassado o objetivo, o Estado com o maior índice total de crianças nas escolas foi o Piauí, com 93,4%. Seis Estados não alcançaram as metas: Alagoas, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Goiás. O principal problema para se atingir o índice desejado está no ensino infantil e médio. Entre as crianças de 4 a 6 anos, apenas 83,3% frequentam escolas. Entre os jovens de 15 a 17 anos, esse número de é 81,3%. "A matrícula já se universalizou no ensino fundamental. O problemas está nas extremidades", disse Ramos. O relatório também avaliou que 47,1% dos jovens concluem o ensino médio até os 19 anos . A meta do Todos pela Educação é elevar esse número para 95% até 2022.

Mais conteúdo sobre:
pontoedu educação metas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.