Sindicato pretende invadir local de votação

PM está no Memorial para impedir protestos; acessos ao local foram fechados

Elida Oliveira e Carolina Stanisci , Especial para Estado de S.Paulo

11 Novembro 2009 | 12h15

Após assembleia realizada na manhã de hoje, em frente à reitoria da USP, o Sindicato dos Trabalhadores da USP decidiu novamente tentar impedir a realização da eleição para reitor da universidade, considerada antidemocrática e elistista pela entidade. A eleição, programada para ser realizada ontem na reitoria, foi cancelada e reconvocada para hoje, às 13h30, no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste. Funcionários sindicalizados da USP, estudantes e membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) acabam de chegar em oito ônibus ao Memorial. Estão fazendo apitaço e prometem invadir o local. "Vamos tentar entrar. A violência fica por conta deles", afirmou Magno Carvalho, do conselho de base do sindicato.   Embora a reitoria tenha informado que não pediu reforço no policiamento para impedir novas manifestações, a Polícia Militar já está na Barra Funda para conter manifestações. Os acessos ao Memorial estão fechados. 

Mais conteúdo sobre:
pontoedu educação usp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.