Sindicato indica fim da greve em SP e indigna professores

Greve completa hoje um mês; professores começam passeata

08 Abril 2010 | 15h17

Representantes do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) indicaram nesta quinta-feira, durante manifestação na avenida Paulista, o fim da greve da categoria, que já durava um mês. O anúncio indignou alguns professores presentes. Os manifestantes pararam a avenida e seguem em passeata.

 

 

Integrantes da Apeoesp defendem que a paralisação seja interrompida porque a Secretaria de Educação já acenou com uma negociação na semana que vem. Os sindicalistas querem esperar até o dia 7 de maio para obter um resultado junto ao governo. Na data, haverá uma nova assembleia geral em frente ao prédio da secretaria, na Praça da República. Apesar da trégua na paralisação, um novo ato foi agendado para a pórxima terça-feira, dia 13, diante da Assembleia Legislativa.

 

 

Cerca de 800 professores participaram da manifestação de hoje, que chegou a fechar uma faixa da avenida. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 300 oficiais permanecem no local.

 

 

A paralisação provocou uma queda de braço entre sindicalistas e o governo. A categoria chegou a afirmar que o movimento atingiu cerca de 80% dos professores. Já a secretaria afirmava que a paralisação não atingiu mais que 1%. Entre as reivindicações, os professores pedem reajuste salarial de 34,3%.

Mais conteúdo sobre:
educaçãogreveapeosp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.