Sete dicas de professores para estudar a duas semanas do exame da OAB

Docentes dos principais cursos preparatórios aconselham foco em poucas disciplinas

O Estado de S. Paulo

03 Março 2015 | 21h51

Há pouco mais de duas semanas da realização do 16º Exame de Ordem da OAB, que ocorrerá no dia 15 de março, professores dos cursinhos preparatórios LFG e Damásio de Jesus sugerem que os candidatos foquem nas matérias mais decisivas, com peso maior na prova e menos conteúdo a ser estudado.

Também é possível melhorar o desempenho aumentando a carga dos estudos nas últimas semanas. Cada aluno deve analisar o seu próprio preparo. Na reta final, matérias mais complexas já devem estar bem estudadas para quem quer bem na primeira fase.

Consultando esses profissionais, o 'Estado' reuniu sete dicas a reta final do exame da OAB:

1. Priorize as disciplinas essenciais

Ética, Trabalho e Processo de Trabalho, Direito Constitucional e Direitos Humanos representam juntas mais de 25% da nota final na primeira fase do exame. No entanto, os conteúdos são considerados mais fáceis e menos densos que o de outras disciplinas importantes. Por isso, é preferível focar os estudos nestas três áreas. "Estamos falando de 21 questões de um universo de 80", ressalta o professor Darlan Barroso, do curso preparatório Damásio de Jesus. "Aqui está o segredo!"

2. Estude Ética

Entre as disciplinas que têm menos conteúdo e grande peso na prova, Ética é considerada a mais decisiva. É a matéria com a melhor relação entre importância na prova e volume de conteúdo. De acordo com o professor João Aguirre, do curso LFG, levantamentos das notas em exames anteriores mostram que o aluno que passa para a segunda fase vai muito bem em Ética. "Nesta disciplina é preciso acertar no mínimo oito questões. Acertar dez é melhora ainda", diz o professor.

3. Deixe Direito Civil e Penal de lado

Para candidatos que sabem que estão muito defasados em Direito Civil e Penal, é provavelmente tarde demais para recuperar este conteúdo. Nesse estágio, o aluno já deve ter uma boa noção geral do assunto, afinal disciplinas como Direito Civil foram estudadas ao longo de toda a faculdade. "É a matéria com conteúdo maior, e em duas semanas o aluno não consegue abarcar todo o Direito Civil", diz João Aguirre, do curso LFG.

4. Se dedique três horas por dia. No mínimo

O número de horas para se dedicar por dia aos estudos depende do preparo do aluno e da disponibilidade de tempo. Para João Aguirre, no entanto, a quantidade não deve ser menor que três horas diárias. O número ideal seria oito horas. Caso trabalhe durante a semana, a recomendação é concentrar os estudos no último fim de semana antes da prova e fazer uma sessão de estudo intensivo.

"Isso é muito pessoal. O estudo eficiente é aquele que tem uma rotina definida", diz Darlan Barroso.

5. Faça simulados 

A reta final também é hora de analisar as deficiências, para focar o estudo em assuntos em que o desempenho é menor. A importância dos simulados, além de treino para o exame, está nas notas de cada área. Com eles, o aluno sabe em quais disciplinas vai bem e em quais deve estudar mais. "Candidatos que estão fazendo 38 ou 39 pontos podem se beneficiar por uma revisão de reta final", diz o professor Darlan Barroso. "Aqueles que estão na margem dos 35 ou menos precisam de uma preparação intensiva ou mesmo semestral."

6. Descanse na véspera

"Não adianta querer colocar tudo na cabeça no sábado que antecede à prova", avisa o professor Darlan Barroso. A recomendação dos dois professores é a mesma: na véspera, o candidato deve descansar para estar bem disposto na prova de domingo.

7. Programe-se

Antes de ir cedo para a cama no sábado, é importante planejar o caminho para o exame no dia seguinte e prestar atenção no horário. A prova ocorre sempre no horário de Brasília. É recomendável considerar possíveis alterações no trânsito ou imprevistos ao longo do trajeto que pretende fazer.

Mais conteúdo sobre:
exame oab oab

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.