Servidores de Educação em SP perdem parte de gratificação

Os cerca de 70 mil funcionários do setor de Educação da Prefeitura de São Paulo não vão receber o pagamento integral da gratificação de desenvolvimento educacional, aprovada no fim de 2001. Alegando queda na arrecadação, a Secretaria Municipal de Educação cancelou 70% do valor do bônus, que seria quitado no fim do ano.A gratificação é uma forma de estimular o desempenho dos profissionais. O valor varia de acordo com a avaliação da secretaria da unidade em que a pessoa trabalha e, este ano, chegaria a cerca de R$ 1.000,00 por pessoa.Graças a um acordo com a Prefeitura, 30% desse valor já foi pago em julho. O resto chegaria no fim do ano. O pagamento integral provocaria gasto de R$ 45 milhões.Reajuste adicionalO chefe de gabinete da secretaria, Enéas Rodrigues, lembrou que a lei prevê o bônus ?conforme a disponibilidade financeira da Prefeitura? e que foram realizadas várias ações para melhorar a situação dos profissionais da área. Entre elas, o reajuste adicional de 6% concedido à categoria neste ano.Os funcionários ameaçam fazer greve para garantir o benefício. ?Como o governo diz que não tem recursos se investe tanto dinheiro na publicidade dos CEUs (Centros Educacionais Unificados)??, questionou o presidente do sindicato dos professores municipais, vereador Claudio Fonseca (PC do B).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.