Servidores das universidades federais iniciam greve

Paralisação nacional começa a partir desta 2ª-feira; funcionários da UnB já cruzaram os braços

Estadão.edu, com Agência Brasil,

11 Junho 2012 | 19h52

Os servidores técnicos e administrativos das universidades federais entram em greve a partir desta segunda-feira, 11. A paralisação nacional foi decretada pela Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra), entidade que representa a categoria. O comando de greve ainda não tem um balanço sobre a adesão dos funcionários, já que o sindicato de cada instituição de ensino precisa decidir em assembleia se adere, ou não, ao movimento.

 

Na Universidade de Brasília (UnB), os funcionários já estão de braços cruzados. Com isso, alguns serviços prestados à comunidade, como empréstimo de livros e uso das salas de leitura na biblioteca da instituição, estão interrompidos.

 

Com a decisão, os técnicos se juntam ao movimento iniciado pelos docentes das universidades federais, que estão em greve desde 17 de maio. Enquanto professores pararam suas atividades para pedir revisão do atual plano de carreira, técnicos reivindicam um piso para a categoria de três salários mínimos.

 

No ano passado os técnicos das universidades federais fizeram uma greve de quatro meses, mas o governo negou-se a negociar enquanto a categoria permanecesse parada. Os servidores encerraram a paralisação sem que suas revindicações fossem atendidas.

 

Procurado pela reportagem da Agência Brasil, o Ministério da Educação (MEC) disse que não irá se pronunciar sobre a paralisação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.