'Serra está reforçando o governo', afirma Paulo Renato

Novo secretário assume no dia 15 de abril; ele foi ministro da Educação de Fernando Henrique Cardoso

Renata Cafardo, O Estado de S. Paulo

27 de março de 2009 | 12h38

O novo secretário da Educação de São Paulo, deputado federal Paulo Renato Souza, afirmou nesta sexta-feira, 27, que o governador José Serra não estava descontente com o trabalho de Maria Helena Guimarães de Castro. "Serra está reforçando o governo. Trouxe o Geraldo", comentou Paulo Renato, ao ser questionado se a motivação da troca de secretários era política. A mudança seria parte das ações que o governo do Estado está para tomar antes das eleições presidenciais de 2010, na qual José Serra é um dos possíveis candidatos para concorrer pelo PSDB.

 

Veja também:

linkMaria Helena sai e cede para Paulo Renato

link Secretária de Educação de Serra sai

link Idesp vê melhora no desempenho dos alunos

linkSP tem 1/3 dos docentes temporários

linkApeoesp: Serra não admite erro em teste 

blog Blog: 'Já cumpri minhas metas', diz secretária

video Série de vídeos com a secretária Maria Helena  

 

O ex-ministro da Educação do governo Fernando Henrique Cardoso afirmou que Maria Helena será sua assessora na área de avaliação e pesquisas. A secretária estava ao lado, ouvindo a ligação, e confirmou que aceitaria."Não vai mudar nada, o programa vai continuar o mesmo."

 

Paulo Renato assume o cargo no dia 15 de abril. No dia 8, Maria Helena deve divulgar ainda os resultados do Saresp, a avaliação da rede estadual. As provas foram feitas em novembro e têm questões de português, matemática e ciência. As notas do Saresp foram usadas para compor o Idesp, divulgado na semana passada.

 

No começo da tarde desta sexta, o governo de São Paulo confirmou o pedido de demissão de Maria Helena. A secretária teria alegado "motivos estritamente pessoais", segundo nota divulgada pela Secretaria da Educação.

 

Professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Maria Helena estava no cargo havia oito anos. A exoneração foi aceita por Serra uma semana após o governo de São Paulo ter divulgado os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp), que mostrou que 70% das escolas da rede estadual melhoraram entre 2007 e 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.