Seguranças da Uniban serão ouvidos na Delegacia da Mulher

Depoimento poderá esclarecer qual o preparo da universidade para um caso violento, diz advogado de Geisy

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

14 Dezembro 2009 | 12h26

A delegada Ângela de Andrade Ferreira Ballarini, titular da Delegacia da Mulher, vai ouvir nesta segunda-feira, 14, os depoimentos dos dois seguranças da Uniban que estavam presentes no tumulto ocorrido no dia 22 de outubro, quando a estudante de turismo Geisy Arruda, de 20 anos, foi hostilizada por usar um vestido curto.   Veja também: Defesa de Geisy pede R$ 1 milhão Defesa da Uniban tentará incriminar Geisy Arruda por má-fé    Os advogados criminalistas Marcelo Chilelli e João Ibaixe Junior, que defendem a estudante, acompanharão a oitiva que, segundo eles, poderá esclarecer qual o preparo da universidade para um caso desses e outros mais violentos quanto à questão da segurança dos alunos.   "Os seguranças estavam totalmente despreparados para uma situação daquela proporção, precisamos esclarecer o que mais poderia ter ocorrido caso a polícia não fosse chamada", afirmou o advogado Chilelli.   A defesa de Geisy também irá questionar as discussões que existiram entre os seguranças, a estudante e outras alunas e tentar identificar novos suspeitos: "Com o depoimento de hoje, poderemos esclarecer alguns detalhes sobre as discussões que ocorreram e talvez sair da delegacia já com o nome do primeiro suspeito", disse o delegado João Ibaixe Junior.   A investigação, iniciada no dia 9 de novembro a pedido dos advogados de Geisy, está sob a responsabilidade da delegada titular da DDM, Ângela de Andrade Ferreira Ballarini.   O inquérito policial investiga se os autores das agressões cometeram pelo menos sete crimes: ato obsceno, cárcere privado, ameaça, constrangimento ilegal, incitação ao crime, injúria e difamação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.