WILTON JUNIOR / ESTADAO
WILTON JUNIOR / ESTADAO

Segundo dia de provas do Enem no Rio tem protestos contra o governo Bolsonaro

“Enem da desigualdade”, “o mais elitista da década” e “mais cotas, menos Bolsonaro” eram algumas das palavras de ordem em cartazes do lado de fora da sede da UERJ. Exame ocorre na tarde deste domingo em todo o País

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2021 | 14h48

RIO - Protestos contra o governo de Jair Bolsonaro marcaram o segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). “Enem da desigualdade”, “o mais elitista da década” e “mais cotas, menos Bolsonaro” eram algumas das palavras de ordem em cartazes do lado de fora do local de prova.

Os portões foram abertos às 12h e fechados pontualmente às 13h. Faltando dez minutos para às 13h, os retardatários começaram a correr para não perder o horário, com o apoio de professores e monitores de cursinhos pré-vestibular, que foram para a porta da universidade prestar solidariedade aos alunos. “Estamos torcendo por vocês”, diziam.

Uma jovem que chegou na garupa de uma moto poucos minutos após o fechamento dos portões ainda tentou negociar sua entrada com os seguranças sem sucesso. Saiu chorando e não quis falar com a imprensa. Mas recebeu o apoio dos professores: “Ano que vem tem de novo, vai dar tudo certo.”

Uma tenda solidária também foi armada na porta da universidade, distribuindo canetas pretas, máscara e água para os jovens. A prova deste domingo tem 90 questões de ciências da natureza e matemática. No Rio, 218.200 alunos estavam inscritos para a prova.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.