Segunda fase da Unicamp começa neste domingo para 14,7 mil

Renato Pedrosa, coordenador-executivo da Comvest, quer estudantes capazes de fazer analogias e desenvolver raciocínios. Prova discursiva irá avaliar quais são estes estudantes entre os candidatos

Elida Oliveira, Especial para o Estadão.edu

08 Janeiro 2010 | 14h40

Neste domingo, dia 10, começa a segunda fase do processo seletivo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os 14.706 candidatos passarão por quatro dias de provas, cada um com 24 questões de duas disciplinas. Ao fim, os candidatos terão respondido 184 itens com conteúdos do ensino médio —  isso porque cada questão nas provas da Unicamp são compostas por dois itens (A e B). Estão em disputa 3.444 vagas.   "Não é uma prova que vai selecionar alunos que absorvem a maior quantidade de informação", diz o coordenador-executivo da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), Renato Pedrosa. "Queremos aqueles que sejam capazes de elaborar, a partir da informação de datas e fatos, respostas que demonstrem o conhecimento e a capacidade de fazer analogias e desenvolver raciocínios. Essas habilidades serão necessárias nos cursos universitários."   A prova da segunda fase seguirá o mesmo modelo conhecido da Unicamp: questões discursivas, divididas por disciplinas. "A prova é calibrada conforme o tempo que o candidato terá para responder às questões." É esperado que cada item em uma questão necessite de 1 minuto de leitura e 4 de resolução. Assim, serão 10 minutos por questão, e um total de 4 horas de prova.    Leia no blog do Estadão.edu a cobertura completa do Vestibular Unicamp 2010   Mudanças na Unicamp entrarão em vigor somente em 2011   Cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Visuais, Artes Cênicas, e Regência terão provas de aptidões   Na Unicamp, todos os candidatos fazem as mesmas provas, independentemente do curso escolhido. Para Lucas Santos Sorrilo, de 18 anos, candidato a uma vaga em Engenharia de Produção, essa característica é o que faz com que as questões sejam mais difíceis do que as apresentadas na Fuvest na semana passada. "Por eles não terem provas específicas, pesam a mão em todas as matérias. A segunda fase é sempre mais difícil do que as de outros vestibulares."   A correção da prova da Unicamp levará em média 15 dias. De acordo com Pedrosa, cada item é avaliado por dois corretores e, se houver discrepância na nota, a dúvida será submetida a um terceiro professor. "Existe uma grade com respostas esperadas em cada questão, na qual os corretores se baseiam", explica o coordenador.   Como as questões são discursivas, existem pontos principais que a banca espera que sejam respondidos pelos candidatos. Mas também há casos em que surgem respostas que não estavam previstas na grade de orientação para a correção. "Nestes casos, se a argumentação for coerente, elas poderão ser consideradas parcial ou integralmente corretas. A banca examinadora é flexível", conta.   Unicamp 2010 As provas serão aplicadas de 10 a 13 de janeiro (de domingo até quarta-feira). São 12 questões por disciplina, cada uma valendo 2 pontos. No domingo será português e literatura e ciências biológicas. Na segunda-feira, química e história. Terça-feira, física e geografia. Na quarta-feira, último dia, haverá matemática e inglês. O tempo máximo de permanência dos candidatos na sala de aplicação das provas é de 4 horas e o mínimo, de 2h30. A Unicamp proíbe o uso de bonés e chapéus durante o vestibular.   Os candidatos que não levaram uma foto 3X4 na primeira fase deverão apresentá-la, sem falta, no domingo. "Isso é tão importante quanto chegar no horário. Quem não levar, não fará a prova", diz Pedrosa.   Os portões abrem às 13 horas e fecham às 13h45. "O candidato tem que estar na sala às 13h45. Se não estiver na carteira, também não fará o exame", alerta. Ele aconselha que os vestibulandos saiam de casa às 11 horas, para não se atrasarem. Também é recomendável checar o local de prova, pois eles podem ter mudado em relação à primeira fase. A consulta poderá ser feita no site da Comvest.    Um exemplo de mudança é entre as cidades em que foram aplicadas as provas: os candidatos que fizeram a primeira fase em Sumaré e Valinhos farão a segunda fase em Campinas; aqueles que fizeram a primeira fase em São Bernardo do Campo farão a segunda em Santo André.    Além destas duas cidades, as provas serão realizadas em outros 19 municípios: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, São Carlos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, São Paulo, e Sorocaba.     As provas de aptidão para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música serão feitas entre 18 e 21 de janeiro.   O que levar para a prova: - foto 3X4 (para quem não apresentou na 1ª fase) - original do documento indicado na inscrição - lápis e caneta azul ou preta - borracha - régua   O que não levar: - equipamentos eletrônicos como calculadoras, celulares e pagers - corretivo líquido - relógio com calculadora

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.