Secretário quer sistema de matrícula por telefone

Em vez de filas na porta de escolas, um telefonema. É esse o projeto do novo secretário Municipal da Educação, Nelio Bizzo, para tornar mais ágil o processo de cadastramento feito por pais que buscam vagas na rede. ?A idéia é que as pessoas se cadastrem de qualquer orelhão, recebam um número de identificação e entrem numa fila eletrônica?, disse Bizzo. ?Ganha-se rapidez e não se submetem pessoas à situação de penúria.?Nos últimos dias, pais de alunos ficaram em filas em algumas escolas municipais para cadastrar os filhos. No caso que mais chamou atenção, dezenas passaram noites na calçada da escola Derville Allegretti, em Santana, zona norte de São Paulo. O programa da telematrícula já funciona no Distrito Federal e em Belo Horizonte.Na segunda-feira, Bizzo reuniu-se com o ministro da Educação, Cristovam Buarque, para conhecer melhor as experiências. ?Com um orçamento de R$ 3 bilhões, isso (a adoção do programa) não seria problema.?Ele diz que será necessário discutir a idéia com o governo estadual, com o qual a Prefeitura mantém um sistema de matrícula conjunta. Hoje ? à exceção de alunos já matrículados que têm vagas garantidas para o ano seguinte ? quem quer tranferência ou está sem escola precisa ir pessoalmente aos estabelecimentos.

Agencia Estado,

07 de janeiro de 2003 | 22h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.