Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Secretário municipal de Educação em SP é exonerado

João Cury Neto ocupará cargo o gabinete do prefeito Bruno Covas; 'Estado' antecipou troca há um mês

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2019 | 10h45

O secretário municipal de Educação em São Paulo, João Cury Neto, foi exonerado do cargo e remanejado para exercer a função de secretário adjunto no gabinete do prefeito Bruno Covas (PSDB). Cury será substituído por Bruno Caetano. 

Estado mostrou, no mês passado, que o governador João Doria (PSDB) chegou a pedir o afastamento de Cury da pasta municipal. O agora ex-secretário é desafeto do governador e foi expulso do PSDB em 2018. Ele foi chamado por Covas para a secretaria municipal após exercer o cargo de secretário na gestão de Márcio França (PSB) no governo estadual, adversário de Doria nas eleições de 2018.

O pedido de Doria envolve a disputa pelo controle da articulação pela reeleição de Covas à Prefeitura em 2020. Conforme antecipou o Estado, o afastamento para um cargo mais discreto no Executivo municipal já era esperado. 

Questionada, a Prefeitura disse que "mudanças de cargos de confiança são normais dentro de uma administração e prerrogativa dos gestores".

Condenado

Há dois meses, Cury foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) à perda de seus direitos políticos. O tribunal julgou que Cury é culpado por improbidade administrativa, em um caso que envolve sua gestão de prefeito na cidade de Botucatu, no interior paulista.

O Ministério Público, autor da ação, entendeu que a gestão de Cury contratou uma empresa, por R$ 11 milhões, para a secretaria de educação daquela cidade, sem cumprir os trâmites regulares. O secretário havia sido absolvido em primeira instância, mas o TJ-SP revisou a decisão e o condenou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.