Secretário do MEC nega fim do Provão e ironiza ex-ministro

O secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação, Carlos Antunes, disse nesta quinta-feira que o ex-ministro Paulo Renato Souza está fazendo o papel de ?viúva do Provão?, com intenção ?eminentemente política?. Antunes estranha a reação porque o exame nacional de cursos estará dentro do novo Sistema de Avaliação e Progresso do Ensino Superior (Sinaes), criado por medida provisória nesta semana. ?O exame do aluno é um dos pilares do sistema?, insiste Antunes.Segundo ele, a MP não detalhou o exame porque traçou linhas gerais do sistema. Os procedimentos da avaliação constarão de uma portaria a ser divulgada dentro de 20 dias e seguem a proposta já apresentada pelo ministro da Educação, Cristovam Buarque, à Comissão de Educação do Senado.O governo modificará a forma de testar os alunos, segundo o secretário. Será por amostragem, abrangendo alunos matriculados no terceiro e no último semestres, com periodicidade de três anos. Enquanto o Provão era obrigatório para os formandos e anual.Antunes disse que o Provão era apenas um instrumento e que o atual governo está criando um sistema de avaliação, centrado na instituição e não exclusivamente no aluno e nos cursos. O artigo 1.º da medida provisória diz que o novo sistema terá a finalidade de ?avaliar a capacidade institucional, o processo de ensino e produção de conhecimento, o processo de aprendizagem e a responsabilidade social? das instituições.

Agencia Estado,

18 de dezembro de 2003 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.