Secretário de Educação de SP quer valorizar professor

Voorwald ressaltou que uma das prioridades do novo governo é melhorar a qualidade dos ensinos primário e médio

Gustavo Uribe e Anne Warth, Agência Estado

03 Janeiro 2011 | 11h04

O novo secretário de Educação do Estado de São Paulo, Herman Voorwald, disse nesta segunda-feira, 3, que pretende instituir políticas de valorização dos docentes e voltou a defender mudanças no plano de carreira dos professores do ensino público estadual. Voorwald ressaltou que uma das prioridades do novo governo é melhorar a qualidade dos ensinos primário e médio, sem descartar o superior.

 

"Uma das metas é incentivar e aumentar o corpo de ação das universidades estaduais", destacou, referindo-se a Unicamp, USP e Unesp. O secretário reafirmou a intenção do governo estadual de criar a Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), de ensino a distância, com o intuito de aumentar o número de vagas de ensino superior e oferecer cursos profissionalizantes e de formação de professores.

 

Ele ressaltou que a proposta, neste momento, não é criar uma estrutura física para a nova unidade de ensino, mas que os cursos sejam estruturados e oferecidos pelas três universidades já existentes. O titular da pasta deu como exemplo o curso semipresencial de pedagogia oferecido desde 2010 pela Unesp que, segundo ele, conta com a adesão de 1.350 alunos.

 

O secretário da Educação chegou ao Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, onde será realizada na manhã de hoje a primeira reunião do secretariado do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). O encontro irá discutir a situação financeira de São Paulo e a disponibilidade orçamentária para a nova gestão. O Orçamento para 2011, aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo, é de R$ 140,6 bilhões.

 

A expectativa é de que, ainda na reunião, o governador trace as principais metas para cada secretaria e discuta a composição do segundo escalão da administração estadual (chefes de gabinetes, secretários-adjuntos e presidentes de órgãos e empresas estatais).

Mais conteúdo sobre:
educaçãoHerman Voorwald

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.