Saresp vai avaliar também escola municipal e particular

O Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), aplicado anualmente pela Secretaria de Estado da Educação, pretende incluir neste ano os estudantes das escolas municipais e particulares.A participação será livre e terá de ser decidida até esta quinta-feira. O exame será no dia 25 de novembro e os resultados serão divulgados em fevereiro.O anúncio foi feito pelo secretário Gabriel Chalita, que explicou na terça-feira a secretários municipais e diretores de escolas que não será feito um ranking com os melhores e piores colocados. Nesta edição, assim como na anterior, que recebeu críticas de professores e especialistas, serão divulgados apenas dados gerais e parciais."Não vamos gerar competição entre as escolas, vamos fazer um diagnóstico para saber o que melhora a educação", disse o secretário.As escolas e municípios que aderirem à avaliação terão de arcar com os custos do processo - R$ 1,64 por aluno de ensino fundamental e R$ 1,65 para cada um dos do ensino médio. O preço e a falta de tempo, no entanto, poderão fazer com que nesta edição o exame tenha poucas adesões."Nós temos interesse, mas há uma dificuldade operacional para que a participação possa acontecer já neste ano", explicou Roberto Prado, diretor-executivo do sindicato das escolas particulares de São Paulo.A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Ensino (Undime) também demonstra interesse na proposta. "Vamos passar uma lista para saber quantos municípios pretendem fazer, mas é bastante interessante para nós", diz João Medeiros de Sá Filho, presidente da Undime.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2004 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.