São Paulo ampliará programa de inclusão digital nas escolas em 2014

Expectativa da Secretaria da Educação é que salas de informática estejam disponíveis a 90% dos matriculados na rede

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

26 Setembro 2013 | 20h34

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 26, a ampliação do programa Acessa Escola, que estimula a inclusão digital na rede do Estado. Até o fim do primeiro semestre do ano que vem, as salas de informática estarão abertas em mais 453 escolas - além das 3.715 unidades onde já funciona o projeto. Segundo a Secretaria da Educação, a expectativa é de que as salas estejam disponíveis para 90% de matriculados em 2014.

O governador Geraldo Alckmin ainda garantiu a convocação de outros dois mil monitores, que são alunos de ensino médio que hoje ganham bolsa de R$ 340 para atuar no programa. A remuneração do grupo de bolsistas, que deve chegar a 11 mil estudantes, também terá reajuste de R$ 40 partir do ano que vem. "Quem não conhece computação tem dificuldade em dar qualquer passo", afirmou Alckmin, na cerimônia de comemoração dos cinco anos do Acessa Escola nesta quinta-feira.

Bolsista do programa desde fevereiro, Larissa Ruiz dos Santos, de 17 anos, gostou da experiência. "Além da experiência de informática, foi interessante para que eu perdesse a timidez ao me relacionar com os outros", relata a jovem, monitora da escola onde estuda em Suzano, na Grande São Paulo. Durante quatro horas por dia, sua tarefa é acompanhar e ajudar os colegas mais novos na sala de computação do colégio. Os usos, segundo ela, são os mais variados. "Alguns vêm para fazer pesquisas; mas outros buscam jogos online", conta.

Para a adolescente, um dos problemas é a falha na manutenção dos equipamentos. "É comum que os computadores, geralmente antigos, estraguem e demora muito para resolver o problema", diz. De acordo com o governador Alckmin, mais de 8 mil novas máquinas serão compradas para o programa, que já conta com 62,3 mil computadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.