Santander anuncia mudanças em prêmio para universitários

Inscritos ganham curso a distância de empreendedorismo ministrado por escola americana

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

22 Julho 2010 | 19h31

O Santander anunciou nesta quinta-feira que estão abertas as inscrições para o  prêmio que concede anualmente a pesquisadores e universitários. A novidade este ano é que todos os inscritos podem ser contemplados com curso a distância, grátis, de empreendedorismo.

 

No total, o banco concederá R$ 1 milhão aos agraciados, em diversas categorias, como empreendedorismo e ciência e inovação. Quem quiser se inscrever deve acessar o endereço do banco e fazer a inscrição até 27 de agosto.

 

Uma parceria com o Babson College, nos EUA, vai possibilitar o curso a distância para os inscritos nos prêmios. "Essa escola é a referência mundial em cursos do tipo. E o melhor de tudo é que todos vão receber certificado da Babson", afirma o responsável pela divisão Santander Universidades, Jamil Hannouche.

 

Os quatro melhores projetos serão indicados a concorrer ao Prêmio Ibero-Americano de Inovação e Empreendimento, em que disputam com finalistas da Argentina, Peru, Colômbia, Chile e Espanha. Os quatro melhores trabalhos de todos os países vão repartir 100 mil euros.

 

A doutoranda em biologia da USP Mariana de Oliveira Diniz, de 26 anos, foi selecionada para o prêmio ibero-americano. Ela ganhou R$ 50 mil no ano passado, na categoria Empreendedorismo em Biotecnologia. 

 

Mariana está na fase final de pesquisa, ao lado de colegas da USP, de uma vacina contra o câncer no colo de útero. Diferentemente da vacina que está no mercado, a que a pesquisadora está preparando em laboratório na própria USP não será preventiva, mas pretende curar quem tiver a doença.

 

"Será uma vacina que contém exclusivamente DNA, que estimula o sistema imune do organismo a reconhecer e eliminar células do tumor", conta Mariana.

 

Segundo Hannouche, nos últimos quatro anos a instituição distribuiu R$ 1,9 milhão em prêmios. Em maio, o presidente mundial do banco espanhol, Emilio Botin, anunciou um investimento de 600 milhões de euros em projetos voltados para o ensino superior, nos próximos cinco anos.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.