Sala de aula: Maquiavel e a política

Na primeira vídeo-aula sobre filosofia, professor fala de como a obra do pensador é importante, especialmente em ano de eleição

Estadão.edu

13 Agosto 2010 | 13h17

Na primeira das três vídeo-aulas sobre filosofia, o professor Ronaldo José Moraca, do Ético Sistema de Ensino, fala da obra de Nicolau Maquiavel e como as ideias contidas em O Príncipe são importantes, especialmente em ano de eleições.

 

Nos próximos programas, Moraca vai falar sobre Ciência e Ética. O objetivo é abordar assuntos que podem cair nos principais vestibulares e exames do País.

 

Os programas são fruto de uma parceria entre o Estadão.edu e o Ético Sistema de Ensino.

 

 

 

Responda às questões:

 

1. (UEL/PR) “O maquiavelismo é uma interpretação de O Príncipe de Maquiavel, em particular a interpretação segundo a qual a ação política, ou seja, a ação voltada para a conquista e conservação do Estado, é uma ação que não possui um fim próprio de utilidade e não deve ser julgada por meio de critérios diferentes dos de conveniência eoportunidade.” (BOBBIO, Norberto. Direito e Estado no pensamento de Emanuel Kant. Trad. de Alfredo Fait. 3.ed. Brasília: Editora da UNB, 1984. p. 14.)

 

Com base  no texto e nos conhecimentos sobre o  tema, para Maquiavel o poder político  é:

 

a) Independente da moral e da religião, devendo ser conduzido por critérios restritos ao âmbito político.

b) Independente  da conveniência e oportunidade, pois estas  dizem respeito à esfera privada da vida  em sociedade.

c) Dependente  da religião, devendo ser conduzido por  parâmetros ditados pela Igreja.

d) Dependente  da ética, devendo ser orientado por princípios  morais válidos universal e necessariamente.

e) Independente  das pretensões dos governantes de realizar  os interesses do Estado.

 

2. (UFU/MG) Muito citado e pouco conhecido, Nicolau Maquiavel é um dos maiores expoentes do Renascimento e sua contribuição determinou novos horizontes para a filosofia política.

 

A respeito  do conceito de virtú, analise as assertivas abaixo.

 

I –  A virtú é a qualidade dos oportunistas, que agem guiados pelo instinto natural e irracional do egoísmo e almejam, exclusivamente, sua vantagem pessoal.

II –  O homem de virtú é antes de tudo um sábio, é aquele que conhece as circunstâncias do momento oferecido pela fortuna e age seguro do seu êxito.

III –  Mais do que todos os homens, o príncipe  tem de ser um homem de virtú, capaz de conhecer as circunstâncias e utilizá-las a seu favor.

IV –  Partidário da teoria do direito divino,  Maquiavel vê o príncipe como um predestinado  e a virtú como algo que não depende dos fatores históricos.

 

Assinale  a ÚNICA alternativa que contém as assertivas verdadeiras.

 

a) I,  II, e III

b) II e III

c) II  e IV

d) II,  III e IV

 

3. (UEL/PR) “Deveis saber, portanto, que existem duas formas de se combater: uma, pelas leis, outra, pela força. A primeira é própria do homem; a segunda, dos animais. [...] Ao príncipe torna-se necessário, porém, saber empregar convenientemente o animal e o homem. [...] Sendo, portanto, um príncipe obrigado a bem servir-se da natureza da besta, deve dela tirar as qualidades da raposa e do leão, pois este não tem defesa alguma contra os laços, e a raposa, contra os lobos. Precisa, pois, ser raposa para conhecer os laços e leão para aterrorizar os lobos. Os que se fizerem unicamente de leões não serão bem-sucedidos. Por isso, um príncipe prudente não pode nem deve guardar a palavra dada quando isso se lhe torne prejudicial e quando as causas que o determinaram cessem de existir”. Fonte: MAQUIAVEL, N. O Príncipe. Tradução de Lívio Xavier. São Paulo: Nova Cultural, 1993, cap, XVIII, p.101-102.

 

Com base  no texto e nos conhecimentos sobre  O Príncipe de Maquiavel, assinale a alternativa correta:

 

a) Os  homens não devem recorrer ao combate  pela força porque é suficiente combater recorrendo-se  à lei.

b) Um  príncipe que interage com os homens,  servindo-se exclusivamente de qualidades morais,  certamente terá êxito em manter-se no  poder.

c) O  príncipe prudente deve procurar vencer e  conservar o Estado, o que implica o  desprezo aos valores morais.

d) Para  conservar o Estado, o príncipe deve sempre  partir e se servir do bem.

e) Para a conservação do poder, é necessário admitir a insuficiência da força representada pelo leão e a importância da habilidade da raposa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.