Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Saiba como usar a nota do Enem para estudar no exterior; especialista tira dúvidas em live

Nota da prova pode ser usada em universidades não só de Portugal, mas também em países como EUA, França e Irlanda. Especialista respondeu perguntas ao vivo sobre como estudar fora

Paloma Cotes, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2019 | 14h00

SÃO PAULO - A nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não dá acesso apenas a universidades brasileiras. Estudantes que fazem a prova também pode utilizar a nota para entrar em instituições estrangeiras. Portugal é o destino mais conhecido e lá a nota já pode ser usada em mais de 40 universidades. Países como Estados Unidos, Inglaterra, Escócia, Irlanda, Canadá e França também começam a olhar a nota dos brasileiros, e cada lugar tem os seus critérios.

- Portugal

É considerado o país onde é mais fácil usar a nota do Enem. Lá, o Enem substitui o vestibular das instituições portuguesas. Mas é importante lembrar que, ao contrário do Brasil, as universidade públicas em Portugal não são gratuitas.

- Inglaterra e Escócia

A nota do Enem já é aceita em algumas universidades, como Glasgow e Bristol, por exemplo. Todos os alunos têm que enviar certificados de comprovação da proficiência em inglês, como Ielts ou Toefl. É possível entrar direto com a nota do Enem, mas isso se aplica a alunos que tenham uma nota muito alta no exame (de maneira genérica, mais do que 800 pontos em 1.000). Se o aluno tiver uma nota mediana (por volta de 600), a faculdade vai exigir que ele faça, antes da graduação, um treinamento chamado de foundation year, no qual aperfeiçoará o inglês, terá aulas de redação, metodologia de pesquisa e estudo dirigido, entre outras.

- Irlanda

Pelo menos duas universidades já aceitam a nota do Enem, mas elas têm critérios diferentes entre si. Na University College Cork, o interessado precisa ter cursado o primeiro ano em uma universidade e obtido média mínima 7, podendo chegar a 9 dependendo do curso escolhido. Na avaliação para o ingresso, o estudante pode também apresentar sua pontuação no Enem. Já na Trinity College Dublin, a nota do Enem dá acesso ao foundation year, como uma forma de nivelamento. A proficiência em inglês também é exigida.

- França

O processo é um pouco diferente: para se candidatar a uma vaga lá, o candidato precisa primeiro ter sido admitido em uma universidade brasileira, reconhecida pelo MEC, na mesma área de estudo. Atenção, não é preciso cursá-la, apenas ter sido aprovado. Depois, o aluno pode apresentar a nota do Enem e, com a pontuação, conseguir uma vaga. Proficiência em Francês e bom histórico no ensino médio também são importantes.

 - Estados Unidos

A NYU é uma das únicas que aceita o Enem. A nota do Enem pode ser usada diretamente em substituição ao SAT. Mas a faculdade leva em conta também o histórico escolar do aluno, é preciso comprovar proficiência em inglês, e eles pedem que o aluno faça redações para falar sobre si mesmo.  A Northeastern e a Temple também já aceitam a nota do exame brasileiro. 

- Canadá

A Universidade de Toronto, a maior do país, aceita o certificado de conclusão do ensino médio e o resultado do Enem como forma de admissão em diversos cursos. Mas é necessário ter um certificado de proficiência no inglês.

Nesta terça-feira, dia 17, às 9 horas, o fundador e mentor da Universidade do Intercâmbio, Matheus Tomoto, deu uma entrevista ao vivo na TV Estadão. Ele falou sobre as possibilidades de estudar fora com a nota do Enem. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.