Saeb deste ano também avaliará professor

O empenho do professor na sala de aula e sua relação com o aluno estão na mira do Ministério da Educação (MEC). Na edição deste ano do Sistema Nacional de Avaliação Básica (Saeb), além das usuais provas de língua portuguesa e matemática, serão coletados dados sobre uma síndrome que afeta profissionais da educação, que se caracteriza pela exaustão emocional e o baixo comprometimento com o trabalho.Pesquisadores querem avaliar qual a influência do problema, batizado de Síndrome da Desistência Simbólica do Educador, no desempenho dos estudantes.As provas do Saeb começaram na segunda-feira em todo o País. Até sexta-feira, cerca de 300 mil alunos devem fazer avaliações de língua portuguesa e matemática. As provas são aplicadas por amostragem a alunos da 4.ª e 8.ª séries do ensino fundamental e 3ª série do ensino médio, tanto da rede particular quando da rede pública de ensino.Participam do levantamento 17 mil professores, 6.500 diretores de 6.270 escolas distribuídas em 1.872 municípios brasileiros.Desempenho crítico"Não aguardamos uma melhora significativa do rendimento dos alunos este ano", afirmou o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luís Araújo. A última edição do Saeb revelou que 59% dos alunos da 4.ª série apresentavam um desempenho muito crítico."Herdamos um sistema deficiente, há uma tendência histórica de queda no desempenho escolar. Dificilmente em dez meses conseguiríamos alterar esse resultado", justificou.Além de avaliar o estado emocional dos professores, o Saeb deste ano deverá analisar o impacto do Bolsa-Escola no desempenho dos estudantes. Para isso, serão analisados dados de 43 mil alunos que receberam o benefício.Violência e raçaO Saeb 2003 deve ainda analisar dados sobre a violência nas escolas e questões relacionadas à raça. "Queremos entender as desigualdades dentro do sistema educacional e, gerar informações úteis para poder revertê-las", disse o diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep, Carlos Henrique Araújo.O diretor afirmou que este ano serão considerados dados sobre regiões metropolitanas, municípios divididos em dois grupos: com mais ou menos de 200 mil habitantes, além das regiões do País. "A expectativa é de que, no futuro, possamos fazer análise de todas as cidades.Para isso, é preciso unificar a metodologia usada nos Estados." Os resultados das avaliações deverão ser divulgados em junho de 2004.Prova em SPEm São Paulo, durante duas horas 60 alunos responderam a perguntas de língua portuguesa ou matemática e a um questionário sobre a situação socioeconômica de suas famílias. No início, os 60 alunos das 4.ª séries E e C da Escola Estadual Romão Puiggari, no Brás, região central de São Paulo, demonstraram nervosismo e apreensão. Com o decorrer da prova, as crianças, com idades entre 9 e 10 anos, foram se tranqüilizando."As escolas e as classes foram sorteadas", disse a supervisora de Ensino Norma Garcia Domingos. "As questões são diferentes para cada aluno. Além disso, um grupo de crianças fará prova de matemática e outro o exame de língua portuguesa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.