Royal Geographical Society abre arquivo ao público

Pela primeira vez em sua história, a Royal Geographical Society de Londres abre seu imenso arquivo de cinco séculos de famosas expedições, com participações de personalidades como Charles Darwin. A partir do dia 8, o público terá acesso a documentos que mostram as primeiras impressões de exploradores ao descobrir lugares como a Antártida.O arquivo contém 2 milhões de objetos, entre documentos, mapas e fotografias feitos pelos exploradores britânicos desde o século 15.A Royal Geographical Society nasceu em 1827 e financiou algumas das mais famosas expedições. Era ali que os exploradores sonhavam voltar para apresentar, orgulhosos, seus relatos e descobertas. Por isso seu arquivo é um dos mais importantes do mundo.Entre os documentos mais valiosos está um desenho das cataratas africanas Vitória, feito em 1860 pelo missionário e explorador David Livingstone. Outros objetos são uma garrafa de oxigênio enferrujada que Edmund Hillary e Tenzing Norgay utilizaram durante a primeira escalada ao Everest, em 1953, e o sextante de bolso que Darwin levou em suas viagens com o Beagle, de 1831 a 1836.

Agencia Estado,

04 de junho de 2004 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.