Rotina atribulada nas famílias que estudam unidas

A casa do advogado José Eduardo Pires, de 54 anos, nunca esteve tão bagunçada. São livros, apostilas e papéis espalhados por seus quatro filhos, que prestarão vestibular para Economia e Engenharia em universidades públicas. ?Deveria haver um curso preparatório para os pais. Isso é angustiante?, desabafou Pires.Ricardo, de 22 anos, Alexandre, 21, Thomas, 20, e Renato, 18, são acordados pela mãe diariamente antes das 6h00. Tomam café, correm para o cursinho Objetivo, na zona sul de São Paulo, onde passam o dia debruçados em cadernos e anotações. Na volta para a casa, a maratona de estudos continua. E os fins de semana não são diferentes.?Eu sei que é traumatizante para eles, porque o vestibular não é um exame, mas um concurso do qual participam pessoas de todo o País?, diz Pires. ?E meus filhos sabem que nós estamos cobrando, porque não posso pagar faculdade para os quatro.?Comida não cai bemSegundo o advogado, o nervosismo por causa da proximidade das provas tem sido constante. ?Às vezes, a comida não cai bem; outras vezes, um não quer comer nada de manhã?, contou. Renato, que terminou o colegial no ano passado, fará vestibular pela primeira vez e acredita que pode passar para a segunda fase. ?Ele é muito esforçado?, diz o pai.Na casa da administradora Izilda Araújo Fazoli, de 51 anos, Cláudia, de 19, vai tentar engenharia no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e Juliana, 17, pretende cursar nutrição. ?A ansiedade que passamos é terrível?, diz Izilda.As duas irmãs estão na mesma classe do cursinho e ainda fazem inglês três vezes por semana.Como o marido de Izilda é professor de matemática e a sua filha mais velha passou no vestibular logo que saiu da escola, as meninas se sentem ainda mais cobradas. ?Meu marido ensina física e matemática; minha outra filha colabora com literatura?, diz a mãe.Domingo de estudosIzilda diz que impõe regras. ?Elas podem sair no sábado, mas domingo é dia de estudar.? Por causa do empenho das filhas, as reuniões na mesa de jantar foram provisoriamente canceladas. ?É o lugar em que elas estudam e eu prefiro não mexer.? Na geladeira, os ímãs também foram retirados para dar espaço a papéis com fórmulas.Para o coordenador do Stockler Vestibular, Agostinho Marques Filho, os pais devem sentar com os filhos para fazer uma pequena programação de estudos. ?Escolher três matéria por dia é o ideal. De preferência, alternando uma que exija muito raciocínio e outra que necessite só de leitura.?Marques disse ainda que, no período que antecede o vestibular, é importante que os pais evitem qualquer cobrança e tornem-se agentes participativos, ?acompanhando o filho e revisando conteúdos que ele domina?. Momentos de lazer são fundamentais, segundo Marques, desde que o aluno durma pelo menos sete horas por noite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.