Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Romário critica ministro por fala sobre alunos com deficiência: 'Toma vergonha na cara'

Desavença começou depois que senador se irritou com comentários feitos por Milton Ribeiro em uma entrevista

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2021 | 18h11

O senador Romário (PL-RJ) criticou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, em publicação nas redes sociais nesta terça-feira, 17.  Segundo o ex-jogador de futebol, “deselegância, imbecilidade e idiotice” é o que ele vem fazendo com a educação do País. “Toma vergonha na cara”, disse ainda. O parlamentar se irritou com comentários sobre alunos com deficiência feitos pelo ministro em uma entrevista. Ribeiro, contudo, alegou ter sido mal interpretado.

À TV Brasil no dia 9 de agosto, o ministro da Educação disse que, no chamado “inclusivismo”, crianças com deficiência "atrapalhavam, entre aspas" o aprendizado de outros alunos sem a mesma condição. Os motivos que faziam isso ocorrer, segundo ele, é que “a professora não tinha equipe, não tinha conhecimento para dar a ela atenção especial”.

Com a repercussão da fala do ministro, Romário, que tem uma filha com síndrome de Down e carrega a inclusão como uma de suas principais bandeiras, dirigiu uma série de tuítes a Ribeiro na segunda-feira, 16, afirmando que "somente uma pessoa privada de inteligência, aqueles que chamamos de imbecil, podem soltar uma frase como essa. Eles existem aos montes, mas não esperamos que estes ocupem o lugar de ministro da Educação de um país".

O senador defendeu, além disso, que "pessoas com deficiência em sala de aula estão, com a sua presença, também contribuindo para uma importante lição, a de que somos diversos e que não podemos deixar ninguém pra trás". Por fim, Romário escreveu: “O ministro da Educação faltou a muitas aulas, deixando a imbecilidade tomar o lugar da inteligência e da humanidade.”

O ministro da Educação, em resposta às postagens de Romário, rebateu que "é muito deselegante quando um representante do parlamento se dirige desta maneira a um ministro de estado, ainda mais com base em uma frase tirada do contexto."

Em seguida, Ribeiro anexou um print em que usuários contextualizam sua fala durante a entrevista concedida à TV Brasil e escreveu ainda: “Quero acreditar que o Sr. não tenha assistido à entrevista e caiu na onda de quem distorceu o sentido de minha frase.”

Ministro disse que universidades deveriam ser para poucos

Durante a mesma entrevista concedida à TV Brasil, o ministro da Educação disse que as universidades brasileiras deveriam ser para poucos. Ao longo da conversa, Ribeiro defendeu ainda a volta às aulas na educação básica, ironizou a demanda dos professores por vacinação contra a covid-19 e se mostrou, mais uma vez, surpreso com o tamanho da pasta que ele chefia há mais de um ano.

Para o ministro, os institutos federais, com ensino técnológico e profissionalizante, serão “as vedetes” do futuro. Ele disse estar cansado de encontrar motoristas que têm graduação completa. “Tem muito engenheiro, advogado, dirigindo Uber porque não consegue a colocação devida, mas, se fosse técnico em informática, estaria empregado porque há demanda muito grande”, afirmou Ribeiro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.