Governo do Chile
Governo do Chile

Roger Waters afirma estar 'em choque' após encontro com presidente do Chile

Ex-Pink Floyd se reuniu com Piñera e questionou se 'todos os políticos são tão descuidados com a verdade'

Ansa

09 Março 2012 | 16h08

SANTIAGO - O músico britânico Roger Waters revelou estar "em choque" depois da reunião que manteve em 1º de março com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, país onde esteve para fazer dois shows.

Durante o encontro, o ex-integrante da banda Pink Floyd e Piñera trataram sobre o sistema de educação chileno, a política energética do governo e a repressão policial durante os protestos sociais que ocorreram no ano passado.

"Deixei o Palácio La Moneda em estado de choque, apesar de não ter dito nada à imprensa reunida fora do local. 'Estou sendo muito duro com o senhor presidente? Espero que não. Será que todos os políticos são tão descuidados com a verdade?", declarou ele em uma carta aberta aos chilenos, enviada por meio de uma emissora local.

Waters revelou que o presidente respondeu, ao ser questionado por ele sobre o sistema educacional chileno, que "todas as crianças e jovens entre 5 e 18 anos têm opções". 

Além disso, Piñera teria garantido, diante dos questionamentos sobre a repressão policial nos protestos, que desde que ele assumiu a Presidência, em março de 2010, foram registradas mais de duas mil marchas, todas autorizadas pelo governo, e que dos mais de 1.200 feridos nas mobilizações, 1.100 eram policiais e somente o restante eram manifestantes.

O músico ainda falou sobre sua reunião com a líder estudantil Camila Vallejo e disse que ficou "muito impressionado por sua paixão e compromisso para reivindicar mudanças no sistema educacional, as quais serão vitais para ajudar a criar um Chile futuro, sem a atual e gigantesca brecha entre o que se tem e o que faz falta".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.