Ritmo de mudanças na educação preocupam o governo, admite Dirceu

O ministro da Casa Civil, José Dirceu, admitiu nesta semana que o ritmo das mudanças na educação são motivo de grande preocupação para o governo. Ao participar da cerimônia de divulgação do relatório 2003 do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da ONU, ele disse que aposta no programa Bolsa-Escola como elemento fundamental para garantir a universalização do ensino.Os avanços na educação foram responsáveis pela subida do Brasil no ranking do IDH em relação ao levantamento anterior, relativo a 2000 - o País saltou quatro posições -, mas há ainda grandes desafios, como a necessidade de expandir o ensino médio.Isso, segundo o ministro, não pode ser tarefa da rede particular, por causa da falta de renda. Hoje, metade dos jovens não tem acesso ao ensino médio. Ele afirmou que o ministro da Educação, Cristovam Buarque, prevê universalizar o acesso ao antigo colegial já em 2006, ampliando o Bolsa-Escola.Metas para 2015A universalização do ensino fundamental é a segunda das oito Metas de Desenvolvimento do Milênio, compromisso assumido pelos membros da ONU em 2000 para ser atingido até 2015. O ministro garantiu que o Executivo está empenhado em cumprir o compromisso.O governo enumera três programas destinados especificamente para tentar atingir a meta na área de educação: o Bolsa-Escola, o programa de universalização do ensino médio e o programa de merenda escolar.Leia mais em

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.