Rio é o primeiro Estado a apresentar proposta de alfabetização

O governo do Rio de Janeiro foi o primeiro Estado a entregar uma proposta de alfabetização de sua população adulta ao ministro da Educação, Cristovam Buarque. ?O projeto vincula alta tecnologia com a erradicação do analfabetismo?, elogiou nesta quarta-feira o ministro, depois de conhecer a proposta traçada para beneficiar 600 mil analfabetos no Rio, ao longo de 36 meses.Pela proposta, a pessoa é capaz de ler e escrever após três meses de curso. Ao final do curso, o aluno que conseguir escrever uma carta receberá um prêmio de R$ 100,00. Os organizadores do curso providenciarão título de eleitor e carteira de identidade novos para substituir antigos documentos em que no lugar da assinatura aparecia a digital do dedo. E, se desejar, o aluno poderá ser encaminhado a outros cursos de inclusão digital, profissionaliznte ou de educação formal de jovens e adultos.O presidente da Fundação de Apoio à Escola Técnica, ClaudioMendonça, um dos responsáveis pelo projeto ao lado da Secretaria da Ciência e Tecnologia, informa que o projeto piloto deverá atender 21 mil analfabetos dos municípios do Rio de Janeiro, Caxias, Pádua, Búzios e Valença. O custo estimado é de R$ 9,7 milhões que o governo carioca espera dividir com o governo federal.Mendonça informou que se pretende recrutar universitários para darem aulas aos analfabetos. Cada grupo de cinco monitores contará com a supervisão de um professor fora do seu horário regular de trabalho ou de um professor aposentado.

Agencia Estado,

08 de janeiro de 2003 | 22h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.