Revista faz edição temática com conteúdos para quem vai fazer Enem e vestibular

São cruzadinhas, caça-palavras, criptograma e outras diversões que prometem tornar menos árduas as tarefas escolares

Marici Capitelli, Jornal da Tarde

29 Julho 2010 | 11h24

JORNAL DA TARDE

Abrir uma revistinha de palavras cruzadas em plena sala de aula não será mais insubordinação. A partir da próxima semana, os alunos terão um bom argumento para incluir os passatempos nas rotinas escolares. É que a Coquetel, tradicional publicação do gênero, traz ao mercado em agosto uma versão temática com conteúdos relativos aos temas tratados pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e também no vestibular. São cruzadinhas, caça-palavras, criptograma e outras diversões que prometem tornar menos árduas as tarefas escolares.

 

No primeiro número há passatempos relacionados ao aquecimento global, energia, crise econômica, África, genética e eleições brasileiras. Cada um dos temas será abordado sob o ponto de vista de duas disciplinas. A energia, por exemplo, terá jogos com conteúdos de física e geografia. Já o aquecimento global, trará conteúdos da geografia e biologia. Serão 32 páginas e 20 variedades de passatempos.

 

De acordo com o editor-chefe das revistas Coquetel e idealizador do projeto, Daniel Stycer, não existe a pretensão de fazer com que os alunos passem no vestibular ou tirem boas notas no Enem só com as cruzadinhas. "A ideia é que os jogos sejam o complemento de uma atividade curricular, mas nada que substitua livros, apostilas ou professores. Não são apenas as revistas que vão fazer o aluno passar no vestibular".

 

Para Stycer, o conteúdo das disciplinas poderá ser aprendido de maneira divertida nas horas de lazer. Para desenvolver os jogos, a editora contou com a consultoria de um corpo multidisciplinar de professores e coordenadores. Ao todo, foram seis meses de trabalho. A ideia, segundo o editor, nasceu da demanda de leitores - que pediam um segmento de passatempos para os adolescentes. Para se chegar ao produto final, os assuntos foram submetidos a alunos e profissionais de várias instituições públicas e privadas.

 

"Dessa maneira, chegamos a conteúdos contemporâneos, que estão por trás de várias disciplinas". O grande desafio, segundo Stycer, é fazer com que os passatempos sejam acessíveis para os alunos tanto da rede pública como da privada.

 

Serão lançadas duas revistas por mês e cada uma delas trará também informações sobre carreiras profissionais. O primeiro número fala de geologia. "Percebemos que os jovens chegam na época de prestar vestibular sem saber qual profissão seguir. A nossa proposta é dar informações que possam ajudá-los", diz Stycer.

 

Psicopedagoga há 20 anos, Raquel Caruso, da Clínica Equipe Diagnóstica de Atendimento Clínico, acredita que a revista é uma alternativa válida para a aprendizagem. "É uma maneira lúdica e gostosa de se chegar à resposta. Se o aluno não consegue, vai pesquisar e nessa pesquisa compreende o que está sendo ensinado".

 

Raquel usa revistas do gênero para trabalhar com crianças e costuma sugerir aos pais que ofereçam jogos educativos durante as férias. Ela também recomenda o material aos professores. "Eles podem ter a revista em sala e, quando o aluno termina uma prova e uma atividade antes dos outros, para não ficar atrapalhando, pode se divertir e aprender com os jogos", indica.

 

Raquel faz, contudo, uma ressalva com relação aos jovens. "É um público que está muito voltado para o computador, é preciso saber se a ideia vai mesmo chegar a eles", diz. A tiragem inicial da revista será de 60 mil exemplares.

 

COQUETEL CONHECER

 

Editora Ediouro, 32 páginas

Preço: 3,90 (no número de lançamento, preço promocional de R$ 1,90)

Mais conteúdo sobre:
Enem Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.