Retardatário pula grade, mas não faz prova da Fuvest

Bastou o funcionário fechar o portão para chegar o único retardatário do vestibular da Fuvest emSantos. Desesperado, Gabriel Oliveira Machado implorou para entrar, mas não foi atendido.A essa altura, a multidão que estava ali entrou em coro, pressionando para que ele entrasse. Nada feito. Restou a última tentativa, apoiada por todos, a de pular a grade, mesmo com o sinal de desaprovação dos funcionários da segurança.Gabriel hesitou um pouco e o incentivo valeu. De uma forma desajeitada, escalou a grade, prendendo a bermuda e se atrapalhando um pouco mais. Já dentro da área do vestibular, começou seu trabalho de convencimento, que não deu resultado e, cinco minutos depois, deixou o recinto."Saí ao meio dia de casa, no Canal um, mas oônibus não passava e deu nisso", disse ele, inconformado. Ele iria prestar vestibular para física e agora só resta a alternativa de passar na Unicamp.Para o coordenador do exame de Santos, Jivaldo Marques, não houve qualquer incidente na entrada dos estudantes. O portão da Unisantos era disputado pelo pessoal de dois cursinhos - Objetivo e Noroeste - que fez muita festa, incentivando seus alunos na reta final.

Agencia Estado,

28 de novembro de 2004 | 20h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.