Divulgação
Divulgação

Restaurantes da USP fecham por falta d'água

Unidade central e da Física fecharam mais cedo e não vão atender no horário do jantar; motivo, segundo a USP, houve um vazamento

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

24 Março 2015 | 16h55

SÃO PAULO - Por falta de água, o restaurante Central da Universidade de São Paulo, localizados no câmpus Butantã, precisou fechar as portas mais cedo. De acordo com relatos de diversos estudantes, o local foi fechado às 13h e, durante o tempo em que ficou aberto, não serviu suco. A unidade do Instituto de Física também precisou fechar. O motivo, segundo a universidade, foi um "vazamento da rede da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp)". As unidades também ficaram fechadas para o jantar. Por dia, os dois equipamentos servem mais de 6 mil refeições em três períodos.

"Informamos que em virtude de problemas com o abastecimento de água na rede da Sabesp, serviremos almoço nos Restaurantes da SAS no câmpus até o término das refeições preparadas", diz nota da Superintendência de Assistência Social da USP (SAS), colada no portão do restaurante. Outros setores não foram afetados, segundo a universidade. 

" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

"Cheguei lá entre 13h10 e 13h15 e eles já estavam fechando os portões e colocando o aviso", reclamou o estudante de História Lucas Pereira Lopes, de 21 anos. "Algumas pessoas ficaram na porta perguntando como fariam para almoçar", disse. O estudante acabou comendo lanche em uma cantina.

Pelo Facebook, estudantes compartilharam uma foto do aviso e relataram o atendimento no local. "Funcionou até as 13h, e sem servir suco. Não sabemos como será no jantar", reclamou uma aluna.

A USP, em nota, afirmou que o vazamento da rede da Sabesp ocorreu na rua do Matão, e que os restaurantes Central e do Instituto de Física também não funcionariam no jantar. Segundo a universidade, os alunos podem procurar o restaurante do Instituto de Química, localizado na Avenida Lineu Prestes, 748.

Já a Sabesp afirmou que foi executada nesta terça uma manutenção emergencial para o conserto de um vazamento de água no local. Segundo a companhia, os serviços foram concluídos por volta das 16h e a normalização do abastecimento ocorrerá "de forma gradual".

Mais conteúdo sobre:
Crise da água USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.